«And some people say that it's just rock 'n' roll. Oh but it gets you right down to your soul» NICK CAVE

quarta-feira, dezembro 20, 2017

Desligar do facebook

Silencioso entardecer de hoje, à porta de casa

Há alguns anos libertei-me da televisão, agora liberto-me de outro ruído alienante, usurpador de tempo e atenção, inimigo do silêncio, que veio ampliar a superficialidade (a espuma dos dias—“casos do dia”) neste mundo. Seja na actualidade informativa, seja na rede social, as questões realmente importantes são, deliberadamente, evitadas.

A maioria das pessoas limita-se, domesticada, a seguir modelos, padrões, escolhas e comportamentos que lhes são impingidos, desde o berço ao caixão. A liberdade afirma-se em actos. Opto pela realidade, que é nutritiva e vale a pena, e resisto a ser amestrado pela tecnologia. Opto por não estar sempre disponível, nem atarefado ou a esbanjar tempo, e viro costas ao alvoroço da tal espuma dos dias. Opto por mais espaço.

É preciso subtrair, retirar o excesso, ir ao osso. Não fugir de si próprio, não viver através de outras pessoas ou outras coisas.

Citando Emily Dickinson, «THE BRAIN is wider than the sky». Portanto, o Cérebro é, incomensuravelmente, mais vasto do que o facebook…

É preciso «parar, para que, de repente, um tempo lento [e amplo], e ao ritmo de si próprio, se desenvolva», como referiu o filósofo José Gil. Quero ainda mais tempo para o que realmente importa e é essencial ao meu bem-estar, crescimento e viver pleno. A «velocidade com que vivemos impede-nos de viver», refere José Tolentino Mendonça, sendo preciso um «abrandamento interno».

Prefiro cultivar a capacidade de espanto a olhar as nuvens :-). «Como são belas… como são belas… como são belas…», afirma Otelo, no filme “Que Coisa São as Nuvens” de Pasolini. Iago responde: «Ah, arrepiante maravilhosa beleza do criado!»

[a quem eu importo e quem importa, encontra-me: neliodesousa@gmail.com / http://olhodefogo.blogspot.pt]

Conexões:
Parar para viver melhor
A arte da lentidão, por José Tolentino Mendonça
Silêncio

Sem comentários:

Enviar um comentário